… e acabou!

Éivo-icon isso mesmo: o Ivo Viu a Uva terminou!

Como não tenho mais tempo para atualizar o blog como deveria, não é certo deixar vocês leitores esperando tira nova. Então, o mais certo a fazer é encerrar o blog: c‘est fini! Não haverão novas tiras e charges, pelo menos por enquanto.

O site, porém, vai continuar no ar, de forma que os quadrinhos já publicados poderão ser lidos sempre que quiserem.

Agradeço a vocês leitores por terem acompanhado o blog durante todos esses anos! Foi uma experiência gratificante, onde pude conhecer muita gente bacana e trocar várias ideias. Espero que vocês tenham se divertido lendo as tiras tanto quanto eu as tive desenhando.

Até mais!

Projeto verão (nº 1)

projeto-verao-1

Rabisco Rápido: O Louco

the-fool-tarot

Estive lendo um artigo na Internet sobre desenvolvimento de personagens e sua relação com arquétipos. Bem interessante, recomendo a leitura.

Segundo o texto, muitos personagens da ficção são arquétipos que se repetem história após história. Há um arquétipo muito comum na ficção, chamado “O Bufão”, que não precisa necessariamente ser um bobo: normalmente são personagens inocentes e cômicos que têm várias finalidades na narrativa, como ser a “consciência do herói”. Geralmente este arquétipo é usado para várias finalidades, como ajudar na caracterização dos outros personagens: o herói normalmente simpatiza com o bufão, assim como o leitor/espectador. Já o vilão o despreza.

Chamou a atenção o comentário de uma leitora relacionando o arquétipo com a  carta do tarô chamada “O Louco” (em inglês, a carta é chamada de “The Fool”, daí a semelhança). Geralmente esse arcano é representado como um jovem bobo da corte despreocupado que caminha com seu saquinho de truques baratos à beira de um precipício, encantado com alguma coisa singela como uma flor ou uma borboleta.

Se pararmos para pensar, faz todo o sentido essa ligação. O Louco e o Bufão, no fundo, são o mesmo personagem: é o deslumbramento infantil, a inocência e por vezes até um pouco de arrojo insensato, que pisa no desconhecido sem nenhum tipo de preconceito anterior e que, por conta disso, se sai com soluções inusitadas, impensadas e criativas. Será que não seria o caso de relembrarmos às vezes do bufão que existe em cada um de nós?

Comentários Fajutos nas Redes Sociais

restaurante

É sério, saiu um artigo na revista Galileu deste mês falando sobre o assunto.

O artigo sobre esta safadeza está AQUI

a lei seca não perdoa ninguém

vampiro-lei-seca